Uma Notinha Sobre o Oceanário

Hoje tivemos mais uma experiência, digamos, lusitana em Lisboa…

Na entrada do Oceanário, quando fomos comprar os bilhetes, havia a opção de alugar um “audio guia”. Por 2,50 Euros podíamos levar ao passeio um aparelho parecido com um controle remoto desses bem grandes, cheio de comandos, e com um pequeno auto-falante na parte superior, para ser colocado perto de um dos ouvidos.

Ele funcionava da seguinte forma: durante o passeio, ao encontrar um símbolo em forma de fone de ouvido acompanhado de um número, bastava digitar o número que era possível ouvir uma gravação explicando algo sobre aquele ponto do passeio dentro do oceanário. Bastante interessante…

Resolvemos, no entanto, alugar apenas um, que ficaria comigo. Assim eu iria comentando com o Edu o que estivesse ouvindo. [Na verdade o Edu preferiu alugar apenas um pois sabia que eu ficaria comentando com ele o que estivesse ouvindo, mesmo que ele estivesse ouvindo a mesma coisa…].

Quando o Edu pediu o aparelho na bilheteria a atendente, portuguesa, informou que seria necessário deixarmos algum documento em garantia, para retirar o equipamento. Antes mesmo de o Edu retirar o passaporte, ela já foi logo dizendo que não poderia ser o passaporte, pois ela não poderia reter esse documento com ela… Então explicamos a ela que só tínhamos o passaporte, e perguntamos se não haveria alguma solução possível.

Foi quando ela nos surpreendeu com uma solução inusitada… Ela disse que poderia tirar uma cópia da folha de rosto do passaporte para usar como garantia. Confesso que na hora fiquei meio confusa… Achei que ela deixaria a cópia do passaporte conosco e reteria o original, mas ela já havia dito que não poderia reter nosso passaporte…

Enfim, entregamos o meu passaporte. Então ela tirou uma cópia da folha de rosto e nos devolveu o documento original. Em seguida ela explicou que na saída passaríamos dentro da lojinha que vende lembranças do Oceanário. Lá dentro deveríamos entregar o “audio guia” para recuperar a cópia (???) do passaporte. Ela ainda enfatizou que aquela cópia era a garantia de que devolveríamos o equipamento…

Saí da bilheteria sem acreditar na brilhante a solução encontrada… Ao final do passeio procuramos o balcão na lojinha e entregamos o equipamento. Em seguida a atendente nos entregou a tão valiosa cópia do meu passaporte… Ufa! Que bom que eu consegui recuperar o documento, sem o qual eu… Eu… Eu provavelmente continuaria vivendo, como já havia vivido até entrar no Oceanário… Alegre

Depois o Edu aventou a possibilidade de o Oceanário denunciar à Imigração as pessoas que levassem o aparelho, de modo que não conseguiríamos sair do país sem devolvê-lo (e provavelmente sem responder a um Processo por isso). Será???

De qualquer forma, eu não levaria o equipamento…

Paloma

Em Lisboa, 04 de janeiro de 2011.

Advertisements

About Paloma Chaves

Doutoranda em Educação pela USP, Mestre em Educação: Currículo pela PUC-SP, Pedagoga, Professora do curso de Licenciatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP – Campus Capivari), Google Innovator, certificada no programa Google Teacher Academy (GTA-SP), consultora especialista no uso pedagógico da tecnologia e em avaliação de competências. Reside em Salto - SP e é casada com Eduardo Chaves.
This entry was posted in Travel. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s